HomeNotícias2015
2015.11.26

Vodafone vai investir 125 M € em fibra até abril de 2017


Com o objetivo de fazer chegar a fibra ótica a mais 550 mil casas, a Vodafone vai investir mais 125 milhões de euros até abril de 2017, anunciou Mário Vaz, presidente da Vodafone, no congresso da APDC.

O investimento em fibra ótica esteve no centro de debate no 25 congresso anual da APDC. E Mário Vaz aproveitou a oportunidade para reafirmar a intenção de continuar a investir em fibra ótica e lamentar que a parceria que tem com a PT Portugal para a rede de nova geração, e que permitiria partilharem casas com fibra, esteja parada. A Vodafone chega atualmente a 2,5 milhões de casas com fibra ótica, um processo que, diz Mário Vaz, levou à criação de 1500 postos de trabalho nos últimos dois anos e meio. “Vamos continuar a investir. E prevemos investir mais 125 milhões de euros para chegar a mais 550 mil casas”, adiantou.

Mário Vaz disse também que a Vodafone foi quem mais clientes de televisão paga captou nos últimos dois anos e meio, passando dos 20 mil clientes para os 350 mil. Num elogio aos trabalhadores da Vodafone, Mário Vaz sublinhou que um em cada seis trabalhadores da operadora está envolvido em projetos do grupo fora de Portugal.

A Vodafone mantém a quota de mercado de 20% no sector das telecomunicações, sublinhou.

Publicação: Expresso / Economia - 25 de Novembro de 2015.


2015.11.26

Operadoras reabrem discussão sobre conteúdos e parcerias da rede de fibra óptica


A Vodafone mostrou-se preocupada com as declarações de Paulo Neves relativas um eventual "fecho do mercado" na área de conteúdos. No que toca ao acordo com a Vodafone de partilha da rede de fibra, a Meo garante que é para cumprir.

A área de conteúdos é um "elemento fundamental" para a competitividade do sector de telecomunicações, sublinhou Cristina Perez, directora jurídica e de regulação da Vodafone Portugal, durante o 25º Congresso de Comunicações da APDC, que decorre esta quinta-feira, 26 de Novembro.

Razão pela qual a responsável ficou "preocupada" com as declarações de Paulo Neves, CEO da PT, no debate do Estado da Nação do sector de comunicações que decorreu na quarta-feira ano mesmo evento.

"Inferi das palavras do Paulo Neves alguma tentativa de estratégia de fecho do mercado, que não é boa para o país. É fundamental um olhar atento e crítico da Autoridade da Concorrência e da ERC (regulador dos media) para os conteúdos", apelou Cristina Perez.

Na quarta-feira, durante o debate crispado entre os presidentes executivos das três operadoras, o líder da Meo disse que queria ter "todos os conteúdos sejam úteis e os melhores para os nossos clientes", afirmou Paulo Neves.

Uma afirmação que não foi bem recebida pelos concorrentes: "Agiremos em conformidade quando virmos que temos um concorrente que pode ameaçar equilíbrio existente", disse Miguel Almeida.

Outro dos temas ‘quentes’ do debate prendeu-se com os investimentos e acordos de parceria de fibra óptica.

Questionada sobre a assimetria de regulação no campo da partilha de redes, a responsável da Vodafone disse que "não é um exercício fácil e, mais uma vez, tem a ver com procura". E aproveitou para relembrar: "Eu também invisto em fibra".

Na quarta-feira, o CEO da operadora, Mário Vaz, anunciou que a Vodafone Portugal vai investir 125 milhões na expansão da rede a 550 mil casas.

Filipa Carvalho relembrou ainda o acordo de partilha de 450 casas entre a PT Portugal e a Meo assinado no ano passado. E "foi com algum desagrado que percebi as palavras do Paulo Neves (CEO da PT) que iria avançar com o investimento num módulo solitário".

Recentemente a PT anunciou que iria alargar a sua cobertura a mais três milhões de casas nos próximos cinco anos.

No âmbito da parceria assinada há um ano, "todos estes pressupostos se mantém válidos e actuais. Qualquer acordo que a Vodafone faça com qualquer entidade é para ser cumprido. E este não será excepção", garantiu.

Confrontada com os planos da Vodafone em também ter anunciado um novo plano de investimento nesta área, a responsável disse que "a Vodafone gostaria o de fazer em parceria com a PT". Mas, "fiquei com dívidas se a PT queria seguir a lógica de parceria assinada no ano passado".

Marta Neves, membro do comité executivo da PT, explicou que no que toca à "validade do contrato não há nada em dívida. A PT continua a cumprir o contrato. E vamos manter".

Alem disso, sublinhou que não vê "qual a surpresa de ontem. O accionista da PT tomou a decisão de fazer um investimento significativo do ponto de vista para o país. E a decisão foi tomada no sentido de ser investimento directo da Altice e da PT. Não pode ser nunca interposto que o que está no acordo seja impeditivo de qualquer uma das operadoras poder tomar uma decisão de investir sozinha", detalhou.

Apesar de reafirmar que a decisão que foi tomada pela PT foi neste sentido, Marta Neves adianta que "não afastamos futuramente tomar uma decisão diferente".

Face a estas declarações, a responsável da Vodafone recordou que este acordo recebeu luz verde quer da Anacom quer da Autoridade da Concorrência. E concluiu: "Fico agrada por ver que a PT também quer cumprir".

Publicação: Jornal de Negócios / Telecomunicações - 26 de Novembro de 2015.


2015.11.24

FTTH CE President meets Luxembourg Prime Minister

FTTH Council Europe President met today with Luxembourg Prime Minister Xavier Bettel.

FTTH Council Europe President Edgar Aker met today in Luxembourg City with Luxembourg Prime Minister and Minister for Communications and Media Xavier Bettel. They discussed the roll-out of fibre to the home (FTTH) in the Luxembourgish broadband market and exchanged on the Digital Lëtzebuerg initiative presented by the government in October 2014. Edgar Aker also took this opportunity to thank the Prime Minister for his support regarding his patronage and opening speech on 17 February of the FTTH Conference 2016.

Don’t forget to click here to read our interview of Prime Minister Xavier Bettel conducted on 28 September!


Publication:
 FTTH Council Europe / News - 23 de Novembro de 2015.

2011 © CBE. Todos os direitos reservados |4ITFUTURE