HomeNotícias2016
2016.12.22

100 maiores empresas do concelho Vila Franca de Xira

A CBE está qualificada como a vigésima oitava maior empresa do concelho de Vila Franca de Xira, claramente com um papel socioeconómico fundamental no concelho.

Publicação: Jornal "Voz Ribatejana - Nº 151 de 16 de Novembro de 2016.


2016.09.20

Vodafone vai investir na rede.


A Em 2,5 anos, a Vodafone investiu 850 milhões nas redes de última geração em Portugal. Operadora já liga perto de 2,5 milhões de lares com fibra.

A Vodafone Portugal não vai entregar dividendos à casa mãe, montante que deverá ser investido no plano de expansão da rede de fibra e de última geração móvel da operadora em Portugal. É a segunda vez, desde 2008, que a operadora liderada por Mário Vaz retém os dividendos.

“A Vodafone Portugal não irá distribuir dividendos relativos ao exercício fiscal de 2015/2016. Esta decisão de não entregar dividendos ao acionista não tem qualquer interpretação negativa. Pelo contrário, é, uma vez mais, um sinal de que a Vodafone Portugal e o seu acionista estão comprometidos com o investimento no mercado português”, frisa Mário Vaz, CEO da Vodafone, em declarações ao Dinheiro Vivo.

A Vodafone não revelou o montante a ser entregue ao acionista, que irá ser canalizado para o investimento em Portugal. Há dois anos, a companhia entregou 45 milhões de euros.

A operadora tem vindo a apostar na sua expansão de rede. Até abril de 2017 quer ligar 2,75 milhões de lares/empresas com a rede fibra, aposta que motivou o anúncio de mais 125 milhões de euros que também deverãp aplicados na rede móvel 4G. Mário Vaz faz as contas e lembra que “num enquadramento macroeconómico desfavorável, em que a maioria das empresas congelou novos projetos de expansão, a Vodafone pôs em marcha um ambicioso plano de investimento que, em apenas dois anos e meio, ascendeu a 850 milhões de euros”.

“Esse esforço mais do que duplicou a nossa intensidade de CAPEX, que atinge cerca de 39% do total das receitas operacionais geradas ao longo do ano, valor 50% superior à média do mercado português”, reforça o CEO da Vodafone Portugal.

O investimento tem sido canalizado para a “expansão e modernização das redes de última geração”, (fibra e 4G) reforça Mário Vaz. Desde junho de 2013 a Vodafone cresceu de meio milhão de casas ligadas, para 2,5 milhões, de acordo com o último relatório e contas da companhia conhecido em julho.

“Há 11 trimestres consecutivos que somos o operador que mais cresce em clientes de TV por subscrição, o que nos permitiu um crescimento da nossa quota de mercado de TV paga de 5,9 para 11,7% em apenas dois anos. Hoje 1 em cada 7 portugueses que têm banda larga fixa são clientes satisfeitos da Vodafone”, reforça Mário Vaz.

“Reflexo dessa posição competitiva nos segmentos móvel e fixo, os principais indicadores de negócio registaram um desempenho positivo nos últimos trimestres, posicionando a Vodafone novamente na rota do crescimento”, continua o CEO da Vodafone Portugal.

A Vodafone fechou o primeiro trimestre fiscal de 2016/2017 com 236,1 milhões de euros de receitas, valor que representa uma quebra de 0,3% face a igual período do trimestre fiscal homólogo. Mas uma subida de 0,2% em relação ao último trimestre do ano anterior.

As receitas de serviço sobem 0,2% face ao trimestre fiscal homólogo, para 220,8 milhões de euros, mas recuam na mesma proporção face ao trimestre anterior.

(corrige para aplicação de 850 milhões em rede de última geração e não apenas fibra)

Publicação: Website: Dinheirovivo.PT / Telecomunicações - 17 de Setembro de 2016.


2016.01.11

Grupo Vodafone confirma investimento na fibra

Em vários mercados, incluindo Portugal e Irlanda.

O grupo confirma que está a apostar no reforço da sua rede de fibra nos mercados europeus. Incluindo o lançamento de um serviço a 1 Gbps na Irlanda e a expansão da infraestrutura no mercado português.

A Siro, uma joint venture entre a Vodafone Ireland e o fornecedor local de eletricidade ESB, começou a oferecer um serviço FTTH a 1 Gbps em Carrigaline, County Cork, a sul da Irlanda. O projeto vai estender-se até 2018 a 500 mil casas na Irlanda.

A Vodafone também confirmou a expansão da sua rede FTTH em Portugal, onde vai investir 125 milhões de euros. O objetivo é passar da cobertura atual de 2,2 milhões de casas para 2,75 milhões no final de 2016.

“As economias de sucesso do futuro serão as sociedades gigabit, que dispõem de ligações ultrarrápidas de fibra ótica disponíveis em todo o lado. A Vodafone está a fazer a sua parte para alcançar este objetivo”, refere Markus Reinisch, diretor de políticas públicas da Vodafone.

O grupo reafirmou ainda o seu compromisso de ligar dois milhões de casas em Espanha com fibra, através do seu coinvestimento com a rival Orange. E adiantou que está em negociações com a elétrica italiana Enel para construir uma rede FTTH nacional no país.

Publicação: APDC.PT / Noticias / Internacional - 04 de Dezembro de 2015.


2016.01.11

NOS dá 400 milhões e adjudica com Benfica

Grupo ultrapassa proposta da concorrente Altice

A guerra pelos conteúdos desportivos está a subir de tom. A NOS chegou a acordo com o Benfica para os direitos exclusivos de transmissão televisiva dos jogos em casa e dos direitos de transmissão e distribuição do Canal Benfica TV. Serão 400 milhões em 10 anos. O grupo de Miguel Almeida ultrapassou a proposta da dona da PT Portugal, que também estava a negociar. E há outros contratos em negociação.

A NOS Lusomundo Audiovisuais, subsidiária do grupo NOS, e a Sport Lisboa e Benfica – Futebol SAD , celebraram ontem o contrato para a cedência dos direitos de transmissão televisiva dos jogos em casa da Equipa A de Futebol Sénior da Benfica SAD para a LIGA NOS, bem como dos Direitos de transmissão e distribuição do Canal Benfica TV, para o mercado nacional e internacional.
 

O contrato terá uma validade de três anos, com início na época desportiva 2016/2017, podendo ser renovado por decisão de qualquer das partes até perfazer um total de 10 épocas desportivas. O valor do contrato ascende a um total de 400 milhões de euros, repartido em montantes anuais progressivos.

A informação foi dada ontem ao final da tarde. E mostra que a guerra pelos contratos dos conteúdos desportivos está a aquecer entre os grupos com plataformas de televisão. Este era um dos mais importantes contratos de conteúdos desportivos nacionais, tendo a NOS conseguido ultrapassar a Altice, que terá proposto 35 milhões de euros por ano ao Benfica, segundo notícias avançadas hoje.

Até agora, este mercado era controlado pela PPYV, empresa da Controlinveste, do empresário Joaquim Oliveira, que detém 50% do capital da Sport TV, sendo os restantes 50% da NOS. Segue-se agora a negociação e contratos com outros clubes, nomeadamente os mais pequenos, como o Boavista, Belenenses e Guimarães, com os quais a Altice estará a negociar.

Publicação: APDC.PT / Noticias / Nacional - 03 de Dezembro de 2015.


2011 © CBE. Todos os direitos reservados |4ITFUTURE