HomeNotícias2014
2014.10.15

A CBE apoia de novo a Campanha "Saco Solidário" AMI

A CBE vai de novo este ano apoiar a campanha de angariação de bens alimentares e de higiene, para a Fundação AMI, com vista à sua distribuição junto da população mais carenciada, em parceria com a empresa Kelly Services.
 


De salientar que a CBE já se junta a esta causa há 2 anos e tem sempre contribuído, devolvendo os sacos solidários cheios de alimentos e produtos de higiene.

Um pequeno contributo pode fazer a diferença
!
 

2014.07.02

CBE patrocinou a equipa de futebol os CIF

A CBE patrocinou a equipa de futebol “CIF - Clube Internacional de Foot-ball”, para que esta participasse na 7ª Edição da Copa Foot 21, que decorreu nos Açores.
 


 

Este evento desportivo destina-se a jovens com idades entre os 6 e os 12 anos e, no caso desta equipa, visava dar oportunidade a algumas crianças mais carenciadas de poderem participar neste certame, que de outro modo não lhes seria possível.
 


 

O CIF (escalão de 2002) terminou o grupo em 1º lugar, passando aos quartos de final, os vencedores dos outros 3 grupos foram o Benfica, Porto e Braga.
 


 

O CIF perdeu nas meias finais com o Benfica (0-2) que ganhou o torneio batendo o Porto na final por 10-2..

O CIF ficou em 4º lugar ao perder com o Braga, a disputa entre 3º e 4º lugar.
 

2014.06.22

Comentários do Professor Marcelo Rebelo de Sousa - TVI Jornal das 8

Carlos Barroqueiro galardoado internacionalmente.

Video: TVI Jornal das 8 - 22 de Junho de 2014.

2014.06.21

Fibra ótica gera 150 empregos - Expresso Emprego

Publicação no Jornal Expresso Emprego a 21 de Junho de 2014

 

2014.06.20

Fibra ótica gera 150 empregos - Expressoemprego.pt

 

Portugal figura desde dezembro do ano passado no Top 10 do Ranking Europeu de Redes de Fibra FTTH (fibre to the home). O país ultrapassa em número de subscritores de serviços de fibra ótica FTTH geografias como a Alemanha, Reino Unido, França, Itália, Luxemburgo e Espanha. A nível mundial, o país ocupa a 15ª posição. Números que comprovam a convicção de Carlos Barroqueiro, CEO da CBE, uma das empresas a atuar no sector a nível nacional, para quem esta é uma área com potencial de crescimento de criação de emprego em Portugal.

O sucesso alcançado por Portugal na área das Redes de Fibra FTTH está sobretudo sustentado nos investimentos realizados ao longo dos últimos anos por empresas como a Vodafone, Portugal Telecom, DSTelecom, Optimus ou a ANACOM que deteve uma posição de pioneirismo ao decidir regular o acesso a condutas e postes, em 2006.


A iniciativas destas organizações, reconhecida como um exemplo de sucesso a nível nacional, abriu terreno à expansão de um sector que tem gerado e continua a gerar centenas de postos de trabalho em território nacional. Carlos Barroqueiro preside à CBE, a empresa portuguesa especializada na construção de Redes de Fibra FTTH (fibre to the home) e Redes Móveis (3G e 4G) que soma entre os seus principais clientes empresas como a Vodafone, NOS, Ericsson, DSTelecom, ZTE ou Huawei. Nos últimos anos a marca tem vindo a criar 60 novos postos de trabalho por ano. Em 2014 o número será superior, fruto da dinâmica do sector.

Para o ano de 2014 Carlos Barroqueiro perspetivou a criação de 150 postos de trabalho. O processo de contratação teve início ainda em finais do ano passado, para dar resposta à construção da Rede de Fibra FTTH da Vodafone, mas há ainda cerca de 50% de vagas para preencher ao longo dos próximos meses. Em paralelo, a empresa está ainda a integrar estagiários em diversas áreas. Para além destes postos de trabalho diretos e também por via dos diversos projetos em que está envolvida, explica Carlos Barroqueiro, “a CBE contribuiu para a criação entre 2013 e 2014 de 200 postos de trabalho indiretos nos seus parceiros, estando a maioria destes profissionais contratados e outros ainda para contratar até ao final do ano”.

O presidente da CBE enfatiza a relevância deste sector para a economia nacional e para a criação de emprego qualificado em Portugal. A empresa está focada em atrair profissionais ligados à engenharia, mas igualmente oportunidades para perfis ligados às áreas de gestão e administrativos, sempre qualificação superior ao nível da licenciatura ou mestrado. Para Carlos Barroqueiro o sector das Redes de Fibra FTTH está em expansão em Portugal. No final do ano passado, o país somava já mais de 540 mil subscritores de serviços sob redes de fibra ótica e mais de 2 mil habitações equipadas. Números que, garante o especialista, “fazem de Portugal um case study a nível mundial”.

Nesta matéria, o líder da CBE destaca ainda a relevância de iniciativas como a Startup Lisboa, na criação de novas empresas de base tecnológica e na atração de investimento externo para o país. Carlos Barroqueiro cita ainda como exemplo “o protocolo recentemente assinado entre a Startup Braga, a Microsoft Ventures e a ZTE que, há apenas cinco anos seria impensável fazer-se a partir de Braga”. Para o especialista, “todas estas iniciativas, mobilizadores de grandes investimentos seriam impossíveis sem Redes de banda Larga de Nova Geração em Fibra (FTTH) como as que temos em mais de 50% do território nacional”.

Liderança internacional

Carlos Barroqueiro, o lider da CBE, acaba de ser eleito para integrar como membro os boards do FTTH Council Europe e do FTTH Council Global Alliance (FCGA), tornando-se o primeiro português a integrar estas organizações a nível internacional. Licenciado em Engenharia de Sistemas e Computadores pelo Instituto Superior Técnico, o presidente da empresa portuguesa especialistas em projetos de engenharia de telecomunicações, ficou também responsável pelo Comité de Financiamento de Redes de FTTH, cuja função é apoiar e acelerar o desenvolvimento de Redes FTTH (fibre to the home) na Europa.

O líder da CBE está ligado ao FTTH Council Europe desde 2008 onde tem sido particularmente ativo, nomeadamente na coordenação do evento anual da organização a nível mundial. Em 2009 presidiu ao grupo de trabalho que organizou a FTTH Conference 2010 Lisbon, tendo também liderado a organização do painel “The portuguese Case on FTTH” na sessão de abertura do evento que reuniu mais de três mil conferencistas, oriundos de 80 países.

Antes de criar a CBE, em 1998, Carlos Barroqueiro foi responsável por toda a área de Engenharia e desenvolvimento estratégico da Cabovisão. Iniciou a carreira como professor de Controlo e Robótica no Instituto Superior Técnico e em 1992 foi eleito JEEP - Jovem Empresário de Elevado Potencial, no sector das telecomunicações, pelo banco BPA.


Publicação:
Expressoemprego.pt - 20 de Junho de 2014.

2014.06.03

Carlos Barroqueiro reeleito no FTTH Council Europe

 

Presidente e CEO da CBE vai também supervisionar Comité de Financiamento das redes em fibra óptica.

Carlos Barroqueiro, presidente e CEO da CBE, foi re-eleito membro do Board do FTTH Council Europe e do Board da FTTH Council Global Alliance.

O primeiro português a integrar estas organizações a nível internacional terá também a seu cargo o Comité de Financiamento de Redes FTTH.


Barroqueiro foi eleito membro do FTTH Council Europe em Abril de 2012 e re-eleito em Abril deste ano por mais dois anos, integrando o Board do FTTH Council Global Alliance (FCGA) que engloba os cinco Councils: Europa, Américas, Ásia-Pacifico, Médio Oriente e África.

Segundo comunicado da organização, “Portugal, de acordo com dados de Dezembro de 2013, está no top 10 do ranking europeu FTTH, ocupando o 9º lugar, e ultrapassando países como a Alemanha, o Reino Unido, a França, a Itália, o Luxemburgo e a Espanha, no número de subscritores de serviços sob redes de fibra óptica FTTH”. Em termos mundiais, o país ocupa a 15ª posição, reflectindo os “540 mil subscritores de serviços sob redes de fibra ótica que já existiam em Portugal no final do ano passado, e as mais de dois milhões de casas passadas”.

As redes FTTH “são essenciais para o desenvolvimento económico e têm um impacto directo no PIB”, afirma Barroqueiro. “A prová-lo estão iniciativas como a Startup Lisboa, na criação de novas empresas de base tecnológica, e como alavanca na atração de investimento externo para o nosso país. Outro bom exemplo é o protocolo recentemente assinado entre a Startup Braga, a Microsoft Ventures e a ZTE que, há apenas cinco anos, seria impensável fazer-se a partir de Braga. Também as redes rurais em fibra são um caso pioneiro em Portugal, e mais uma vez um ‘case study’ internacional, como a rede da DSTelecom, que levará banda larga a mais de 50 concelhos do interior do país, e na qual a CBE está envolvida”.

Carlos Barroqueiro criou a CBE em 1998, sendo antes responsável pela área de engenharia e desenvolvimento estratégico da Cabovisão e professor de controlo e robótica no Instituto Superior Técnico.


Publicação:
Computerworld - 02 de Junho de 2014.

primeira
anterior
1::2
registos 1 de 9
2011 © CBE. Todos os direitos reservados |4ITFUTURE